Posted por em 16 nov 2019

 

 

Beija-flor e a Calliandra

Outubro de 2016
Estava me dirigindo a uma exposição no Espaço Cerratenses, no Jardim Botânico de Brasília. Eu estava participando desta exposição com um trabalho em Aquarela “Cerrado que encanta”.
Pelo caminho de terra batida, a partir da saída do asfalto, vi uma linda Calliandra, solitária, à minha esquerda do caminho.
Pensei em tirar uma foto, havia trazido a máquina fotográfica comigo. No entanto, resolvi deixar para quando estivesse voltando pelo mesmo caminho.
Quando retornava, parei o carro, desci o vidro (do carona) e resolvi tirar a foto dali mesmo, dentro do carro.
Peguei a máquina, foquei a lente para a Calliandra… linda e exuberante… sozinha.
Cliquei. A tela de cristal ficara por segundos escurecida, enquanto a máquina processava a ação que comandara.
Quando a tela da máquina mostrou a imagem capturada… eis que vi um Beija-Flor beijando a Calliandra.
Por um segundo, não muito mais, fiquei surpreendida sem saber o que acontecera.
Logo percebi o Beija-Flor ainda junto à Calliandra.
Fiquei tão emocionada que chorei.
Recebera um presente precioso naquele momento.
Um carinho precioso da Mãe Natureza.
Momento encantador e inesquecível.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *