Posted by on nov 11, 2017 in Palestras | 0 comments

Aprender com o Mestre - Ilustração msg siteEstudo oferecido no Grupo Fraternidade Cícero Pereira

Áudio do estudo oferecido – Bem e Mal Sofrer (MP3)

 Folheto distribuído ao público – Bem e mal sofrer – folheto (PDF)

História contada ao final do estudo – Um olhar sobre a dor e o sofrer

separador-AprenderMestre

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” Jesus em Mateus 11: 28-30

As dificuldades e/ou doenças são consequências de ações desequilibradas, das infrações que cometemos ao longo de nossas vidas, podendo repercutirem-se na jornada em curso ou em alguma vindoura.

Precisamos ter a consciência de que não há castigo de Deus. Há justiça divina.

A doença, como outros obstáculos com que nos deparamos, é recurso para a revisão de conceitos e valores, objetivando o crescimento espiritual que todos buscamos e almejamos.

Quando nos dispomos a observar e aprender diante das dificuldades, nós promovemos uma mudança interior e abrimos novos caminhos. É com o aprendizado que seguimos em frente abrindo novas portas.

Quando resistimos e nos indispomos com os obstáculos, normalmente eles se mantêm até que consigamos perceber a lição que estão trazendo para nós.

Se estamos tristes e sentindo-nos desamparados, precisamos repensar nossas vidas e buscar novos caminhos.

É verdade que nesses momentos temos dificuldade para ver com clareza o que nos ocorre e precisamos de alguém que nos ouça e nos auxilie.

A pessoa mais indicada é aquela que nos ama e nos compreende de verdade.

Aquela que nos acolhe em seus braços e nos oferece um ombro amigo onde possamos nos recolher e nos aquietarmos.

Além dessa pessoa amiga, precisamos também buscar o aconchego e o auxílio de um amigo maior, aquele que nos ama ainda mais e nos compreende como ninguém mais pode fazê-lo.

Precisamos buscar o auxílio do Mestre dos mestres e nos aquietarmos para ouvi-lo com os nossos corações. Ele nos acolhe e nos envolve em seu manto de luz e de amor. Ele traz paz, tranquilidade e confiança. Ele compreende o que nos ocorre no íntimo, mais do que nós mesmos.

Deixemos que ele nos envolva em luz, fortaleça nossa confiança e imprima em nós a determinação para seguir em frente e vencer os obstáculos.

Busquemos na fé e na oração o apoio para todos os momentos. A sintonia com o Plano Maior é a chave para descerrar os horizontes e visualizar novos caminhos.

Voltemos nosso pensamento ao Pai e roguemos por auxílio.

De início, a mudança ocorre só a nível da emoção. No entanto, a mudança se projeta para o exterior e o mundo à nossa volta, a partir de então, torna-se melhor, principalmente porque o vemos com um novo olhar.

O auxílio sempre virá como recurso de elevação e aprendizado. Poderá não vir a ser como esperamos, mas devemos ter a certeza de que virá na forma que melhor nos convier, porque Deus sabe dos objetivos que devemos alcançar e oferece os melhores recursos para tanto.

A prece faz-nos sentir envolvidos por uma energia benéfica e possibilita a aproximação dos grandes benfeitores que nos auxiliam na organização de roteiro para a caminhada segura.

É consoladora e fundamentalmente amorosa a oportunidade de aprendizado e crescimento espiritual. Sabemos que Deus nos oferece todas as oportunidades que sejam necessárias para que encontremos o nosso caminho e alcancemos a perfeição que Ele espera de nós.

Estejamos em sintonia com o Mestre. Novas oportunidades surgirão e a alegria e a confiança farão parte de nossas vidas.

Paz, luz e amor em nossos corações, agora e sempre.

separador-AprenderMestre

Ser um Ser melhor (*)

Muitas vezes nós nos sentimos frágeis, sem forças para seguirmos em frente em nossas vidas.

Inseguranças que calam fundo em nossas Almas e, por momentos, não conseguimos controlar nossas emoções que nos parecem deixar ruir o chão a nossos pés.

Oramos, mas é como se as nossas preces fossem tão frágeis quanto nós mesmos, incapazes de alcançarem o infinito, como desejaríamos.

Em determinado momento, reconhecemos o quanto estamos realmente fragilizados e incapazes de cumprir metas, completar compromissos assumidos com muito carinho e determinação.

Não é fácil ter consciência da dimensão alcançada pela fraqueza espiritual. Indagamos a nós mesmos: como pude chegar a tal ponto? O que está a me acontecer para me sentir tão pequeno?

Quando chega a esse ponto, é preciso tomar uma decisão importante: vou deixar-me levar pelas circunstâncias identificadas ou tomar uma atitude e buscar vencer o temor que me acomete?

Esse momento é crucial em nossas vidas!

Cremos em Deus? Acolhemos verdadeiramente o Mestre Jesus como nosso Guia e Mentor?

O quão importante os Seus ensinamentos são para nós?

Entreguemo-nos a Deus, busquemos a luz e fortaleçamos nossa fé.

Oremos deixando nossos pensamentos elevarem-se ao encontro do Pai. Saibamos encontrar o que há de divino em nós para que sintamos ressonância no Divino emanado por Ele em nossa direção.

Acolhamos essa energia e deixemos que promova transformações em nosso Ser.

Expressemos gratidão por essa maravilhosa bênção.

separador-AprenderMestre

A dor e o sofrimento (*)

A dor não deve ser confundida com sofrimento.

Ela é, tão somente, a expressão dos terminais nervosos do corpo diante de algo que o incomoda, física ou emocionalmente.

Ela é um alerta a nos remeter a procurar a causa e tentar trazer ao corpo uma condição ideal de conforto e bem-estar.

Temos o costume de dizer que estamos sofrendo ao sentir uma dor, quando, na realidade, o sofrimento é decorrente do como estamos lidando com a dor, que pode ser física, emocional ou espiritual.

Sofrer é não saber lidar com ela.

Quando percebemos que a dor é um alerta que nos auxilia a buscar equilíbrio para o físico, o emocional e o espiritual, descobrimos que, na verdade, é um despertamento interior para a busca da recuperação do nosso equilíbrio.

Sem a dor nós não teríamos a oportunidade de saber estarmos precisando da cura.

Não é motivo para sofrer, mas para despertar novos olhares sobre nós mesmos, nossas condições físicas, emocionais e espirituais.

A dor é consequência de um distúrbio, o sofrimento é não querer entender e resistir ao despertar que ela proporciona.

A cura se inicia a partir do entendimento e do despertar que nos leva a mudanças e novos caminhos.

Não devemos nos revoltar pela dor, devemos ser gratos por ela estar a nos oferecer a oportunidade de descobrir o que deve ser mudado, transmutado em nosso Ser.

(*) Textos em o livro Reflexões da Alma III, Elda Evelina, Bookess Editora

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *